Cebola é bom

Cebola além de dar gosto para a comida também é um dos alimentos que traz muitos benefícios para saúde.

Você já imaginou o que seria das receitas se a cebola não existisse? Usada no mundo inteiro para dar um toque especial aos pratos, a cebola é um alimento cheio de benefícios para quem o come. Seu gosto único serve como um excelente tempero, principalmente quando refogada com alho. A nutricionista Patrícia Hidalgo, especialista em alimentação funcional, diz que as cebolas são ricas em compostos de enxofre e em cisteínas, responsáveis pelo odor característico e por induzir a lacrimejar.

Graças a esses e outros componentes, a cebola ajuda a neutralizar bactérias que fazem mal para o organismo. “A cebola tem um efeito contra bactérias como a salmonela e a E. coli, que causa cólicas, diarreia e vômito”, diz Patrícia.

Seus efeitos medicinais são grandes.“Ela é um remédio natural. Não é à toa que em alguns países se toma o chá da cebola”, observa a nutricionista. Além disso, os antigos costumavam usar preparos com cebolas no tratamento de resfriados, asma e até para repelir insetos. Na medicina chinesa também elas são usadas para tratar angina, infecções bacterianas e doenças respiratórias. A própria Organização Mundial de Saúde - OMS -, recomenda seu uso no tratamento de pessoas com pouco apetite e para prevenir a aterosclerose.

As cebolas, enfim, segundo Patrícia, são probióticos naturais, que ajudam a estimular o crescimento de bactérias saudáveis no organismo. “Ricas em oligossacarídeos, elas produzem bifidobactérias, que diminuem a presença de bactérias nocivas principalmente no cólon intestinal”, explica. Patricia acrescenta que por essa razão a cebola ajuda a reduzir o risco de tumores de cólon. “A presença de sulfetos também fornece proteção contra o crescimento de tumores”, acrescenta a nutricionista.

Esses mesmos sulfetos ajudam ainda a reduzir os lipídios do sangue e a pressão arterial. Um estudo realizado na Índia descobriu que comunidades que nunca haviam consumido cebola ou alho (que também é rico em sulfetos) apresentavam um nível elevado de colesterol e triglicérides no sangue. As mesmas comunidades também se caracterizaram por uma capacidade de coagulação do sangue menor que a de outros grupos que ingeriam os alimentos. “A coagulação está ligada ao teor de enxofre, que aumenta o número de plaquetas no organismo”, explica a nutricionista. Quem tem problemas de coração também não deve deixar de ter cebola no prato. “Os flavonóides presentes na cebola são substâncias conhecidas pela proteção contra doenças cardiovasculares“, diz Patrícia.

Fonte: Terra



Tags:
,
,